Covid-19

Obras de fundo precisam-se, lembra União das Freguesias

Os membros do executivo da União das Freguesias de Ovar, São João, Arada e São Vicente de Pereira Jusã (UFO), Nuno Sampaio Pinto, Jacinto Emerenciano e Jorge Maia, e o presidente da Assembleia de Freguesia, José Fragateiro, acompanharam na quarta-feira o ministro do Ambiente, Ordenamento e Energia, Jorge Moreira da Silva, numa visita à orla costeira do concelho de Ovar.

Jorge Moreira da Silva verificou os estragos provocados pelo avanço do mar no bairro piscatório de Esmoriz e nas praias de Cortegaça e Furadouro, todas no concelho de Ovar, tendo reconhecido que as alterações climáticas fazem de Portugal um dos países sob maior risco de erosão na Europa. O governante admitiu a costa de Ovar como uma zona “prioritária” em termos de intervenção.

O ministro comprometeu-se a avançar «nas próximas semanas» com obras de três milhões de euros nas praias afectadas do concelho de Ovar, mas a União das Freguesias de Ovar lembra que «estas intervenções de emergência não vêm resolver o problema que é mais abrangente e tem a ver com o desaparecimento gradual da praia, suporte económico fundamental do Furadouro».

A União das Freguesias de Ovar considera importante o anúncio, mas recorda que «é preciso perceber o que se pretende para o futuro da nossa praia». Neste sentido, vai continuar a pugnar para que seja feita uma intervenção de fundo que devolva o areal ao Furadouro.

 

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo