Opinião

Um Esmorizense, que “partiu” a 23/09/1999 – Por Florindo Pinto

A 3 de Julho, do ano de 1919, em plena pandemia, naquele tempo, do “senhor” e, do

– século passado, que foram a sepultar (144) o maior número de “mortes”, de sempre

– nestas terras barrinhotas, nasceu; Aires César Pinto Rodrigues Amorim, Esmorizense

– que, no seu percurso de vida, abraçou o sacerdócio e, dedicou muito do “seu” tempo

– à pesquisa, relacionada, com a terra que o viu nascer. Deixou, para o mundo e, para

– os conterrâneos, “escritos valiosos”, compilados e, impressos, em um livro; “Esmoriz

e a sua História”. A “obra”, merece estar em casa de todos, os residentes em Esmoriz

– Tem andado, por aí, uns autarcas, a “publicitar/blablabla”, que apoiam a Cultura e

o Desporto”. Eu sei, eu tenho escrito que muito do que dizem é conversa a enganar o

– povo. E, é. Se não o é provem, “dando” um exemplar, a cada uma família, da Cidade.

Florindo Pinto

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo