Opinião

Gosto do Parque Ambiental do Buçaquinho – Ricardo Alves Lopes

Verde, tão verde. A paz das árvores a alumiarem os carreiros, o chilrear dos pássaros que compassam o passeio e alegram a alma. O café, o ambiente, tudo.

Num caminho que parece não ter fim, de tão belo, de tão puro, entre praias e cidades, nasce o Parque Ambiental do Buçaquinho. A beleza do lugar não está apenas na forma como a natureza o contemplou, também se encontra na maneira como foi trabalhado, pela mão humana, para dar o melhor de si.

Ainda que pouco frequentador, tenho que me confessar fã da Cafetaria do Parque Ambiental do Buçaquinho. Não posso imaginar melhor conceito de espaço de restauração para aquele local, não consigo idear melhor decoração e ambiente. E os trilhos? A possibilidade de jogging ou passeio em volta?

Numa semana que fomos considerados o melhor concelho para andar de bicicleta, não posso deixar de ficar triste ao ver que algumas pessoas optam por espezinhar o que ainda não foi feito, preferindo passar um manto por cima do que vai sendo feito. Bem sei que há muito a ser melhorado, que a maioria ficou satisfeita, mas continua a custar-me que uma minoria prefira centrar-se no que falta, nunca olhando o que se vai fazendo.

A vontade de olhar apenas para as lacunas não nos deixa ver o que de bom temos. É claro que há zonas da pista a serem melhoradas, é claro que há sítios onde se pode aumentar a extensão, é claro que é preciso pensar em formas (se elas existirem) de esbater os problemas do mar, é claro que ainda existe muito desemprego na nossa região e muitas outras coisas que necessitam ser feitas e melhoradas, mas também é verdade que temos a Arte Xávega, as Capelas dos Passos, um Centro de Artes a crescer, a única Aldeia do Carnaval do país, uma cidade que se começa a movimentar culturalmente, temos praias, temos mar e ria, temos um espaço verde que nem todos os concelhos se podem orgulhar, temos um Parque Urbano e este Parque Ambiental. Temos várias coisas, mas não temos tempo para olhar para elas.

O quotidiano, a vontade de mostrar que há muito a melhorar, não nos deixa grande espaço a elogios, por isso hoje decidi escrever este texto. Sou fã do Parque do Buçaquinho. Não vou muitas vezes, porque também sou filho dos defeitos que a muitos aponto, mas guardo-me o direito de ser consciente. E aquele parque é lindo. Não para todos os dias, claro, mas para, pontualmente, fugirmos do emaranhado de sensações do dia-a-dia e nos entregarmos a outra dimensão, dentro da nossa própria dimensão.

Gosto do Parque do Buçaquinho e que tenhamos sido eleitos como o melhor concelho para andar de bicicleta.
O caminho faz-se andando, seja passo por passo por passo no Parque do Buçaquinho, ou pedalada por pedalada entre praias. Há que falar mal, mas também há que falar bem. Não somos os maiores, não é fácil virmos a ser, mas não nos devemos envergonhar do que temos.

Ricardo Alves Lopes (Ral)
http://tempestadideias.wordpress.com
ricardoalopes.lopes@gmail.com

Artigos relacionados

Deixe uma resposta