Covid-19

Escola Básica António Dias Simões lembrou patrono

A primeira atividade, no âmbito da homenagem ao patrono da escola básica António Dias Simões, decorreu no passado dia 8, com a realização de uma sessão sobre “A influência de António Dias Simões nos primeiros acordes do cantar dos reis”.

Os oradores convidados foram o Padre Manuel Pires Bastos e João Costa, ambos membros da Troupe de Reis JOC/LOC. 

A iniciativa, dos assistentes operacionais da EB António Dias Simões com o apoio da Direção do Agrupamento de Escolas de Ovar e a coordenadora de estabelecimento Teresa Simão, passa por dinamizar em três grandes momentos ao longo do ano letivo, atividades inscritas no PAA do Agrupamento que visam homenagear o patrono da escola, em áreas que esta figura ovarense se destacou, como a tradição reiseira ou a educação entre outras.

Enaltecida a iniciativa dos assistentes operacionais pela Diretora do  Agrupamento Cecília Oliveira e, recordado António Dias Simões pelo não docente Joaquim Fidalgo, que se dirigiu aos alunos sobre o patrono da escola, como tendo sido “principalmente historiador, poeta e dramaturgo”, referindo ainda a sua ligação ao ensino, em que, “abriu escolas de ambos os sexos na vila de Ovar” bem como outras áreas em que se evidenciou, a exemplo, da pintura, miniaturista e calígrafo. 

Seria em torno da tradição reiseira ainda fresca na memória coletiva que alimenta e preserva as particularidades do cantar os reis em Ovar, que António Dias Simões seria referido pelos veteranos e animadores reiseiros presentes, ao destacarem a importância que teve o patrono da escola no surgimento desta tradição, a que o Padre Pires Bastos se ligou mesmo antes de ser pároco em Ovar.

O humanismo, a simplicidade e a diversidade da intervenção social e cultural que caraterizaram a vida e obra» do homenageado, acabou por centrar a atenção das palavras de Manuel Pires Bastos em duas sessões, que envolveram mais de duzentos alunos do 2º ciclo, muitos deles já familiarizados com a tradição, através das troupes escolares. 

Por isso, o Padre Bastos lançou o repto para que os alunos ajudarem a preservar o característico cantar dos reis, sensibilizando mesmo, para a cada vez mais indispensável participação ao nível do instrumental, tendo em conta o fato de muitos dos alunos presentes frequentarem aulas de educação musical empenhando-se assim, “no espirito solidário e fraterno, tal como o patrono da vossa escola idealizou e praticou”, concluiu.

João Costa recordou também que António Dias Simões “tinha uma facilidade enorme para criar as letras”, sendo conhecido o encontro entre ele e Alfredo Cerqueira Alves, outro dos impulsionadores dos reis em Ovar. Uma tradição que teve por base os instrumentos de cordas, e como acrescentou este antigo reiseiro fundador da Troupe de Reis JOC/LOC “tentou-se outros, como o acordeão mas não surtiu efeito” lembrou João Costa, que, com o Padre Manuel Pires bastos foi recordando e reafirmando pormenores do típico cantar os reis em Ovar que ajudaram os alunos a ficarem mais sensibilizados para conhecerem e valorizarem a vida e obra do patrono da sua escola.   

José Lopes (Texto e fotos)

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo