CulturaPrimeira Vista

Ministério da Cultura abriu processo de classificação do Aron Hakodesh ou Ekhal

O Ministério da Cultura, através da Direcção Regional de Cultura do Centro, informou que abriu o procedimento de classificação da estrutura em que se integra o Aron Hakodesh ou Ekhal, na Rua Padre Juiz Oliveira Martins, Câssemes, em São Vicente de Pereira, e arquivou a proposta de abertura do procedimento de classificação da restante área do conjunto.

O Diário da República publicou o procedimento de classificação do Aron Hakodesh de S. Vicente Pereira, Ovar, para que aquele armário destinado à Tora judaica seja reconhecido de Interesse Nacional pela sua “grande raridade”. Também designada pelos judeus como “Aron Kodesh”, “Eikhal” ou “Ekhal” (sempre com base no termo hebraico para “arca sagrada” ou “armário da lei”).

A peça é considerada simbólica por guardar o pergaminho manuscrito que replica os textos na base do Judaísmo e é utilizado em todas as celebrações litúrgicas dessa comunidade religiosa. No caso específico dos judeus de Ovar, o Aron Hakodesh, agora em processo de classificação, é um armário em pedra embutido na parede, está atribuído ao século XIV e integrava uma propriedade privada que a autarquia adquiriu recentemente por 125.000 euros, já com o propósito de preservar o património constante dos edifícios centenários aí existentes.

“Todos os especialistas chamados a pronunciar-se sobre este processo destacaram a grande raridade deste achado e, sobretudo nesta região do Litoral (…), também os seus significados e valor histórico e simbólico para a nossa cultura”, lê-se num documento da Secção do Património Arquitectónico e Arqueológico do Conselho Nacional de Cultura para o qual remete a edição do Diário da República.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Veja Também
Fechar
Botão Voltar ao Topo