LocalSlider

O Circo está a chegar à Praia do Furadouro

O programa de animação balnear da praia do Furadouro, resultante de uma parceria da União das Freguesias (UFO) e da Câmara Municipal de Ovar, prepara-se para a estreia do Circool – Festival de Circo a Céu Aberto.

O primeiro festival de artes circenses vai decorrer em diferentes pontos da Avenida Marginal e Central do Furadouro e vai oferecer, no próximo fim-de-semana de 23 e 24 de Agosto, espectáculos sempre gratuitos.

Salomé Costa, que integra a organização do Circool enquanto tesoureira da UFO, explica que “a ideia é fugir um pouco ao circo tradicional”, sendo que o Circool vai apostar no chamado Novo Circo que tem mais a ver com as artes de rua.

“Tudo o que envolva mais os artistas e menos os animais”, declara a autarca, salientando que o Circool vai oferecer experiências diversificadas com artistas nacionais e internacionais, alguns dos quais executando números com relevância artística, “como é o caso do mastro chinês, com cerca de 6 metros de altura”.

A ideia é “levar às praias algo de diferente e inovador”, a que as famílias nem sempre têm acesso, pelo que vai haver faquires, clowns, malabaristas, etc.

“O objectivo é trazer o circo à praia e a ideia é que as pessoas acabem por ‘tropeçar’ nele, quase sem estarem a contar”, acrescenta.

Do cartaz da primeira edição do Circool constam 28 espectáculos por companhias portuguesas e artistas italianos, argentinos e venezuelanos. Os portugueses Erva Daninha e Cici, o argentino Payaso Juanillo, o italiano Stefano ou o venezuelano Manolo são alguns dos trunfos de uma programação que começa às 10 horas de sábado e domingo e tem o final previsto para lá da meia-noite, já que o último espectáculo tem início previsto para as 23.30 horas.

Um dos principais cenários do evento será um coreto tradicional que se encontra instalado sensivelmente a meia extensão da Avenida Central do Furadouro. A UFO propõe-se valorizar essa estrutura arquitetónica enquanto espaço de fruição pública, para o que Salomé Costa anuncia que está a ser especificamente concebida, por exemplo, “uma performance de dança acrobática”.

“Esperamos estar a lançar, este ano, a semente para um evento que possa realizar todos os anos e se torne referência da praia do Furadouro nesta altura do ano”.

Para além das iniciativas previstas no âmbito do festival circense, o programa geral “Animar as Praias” inclui uma série mais alargada de actividades, como aulas de fitness, desportos náuticos, jogos tradicionais, insufláveis, concertos, teatro, peddy-papers, workshops, um espectáculo por escolas de samba, um festival de bandas de garagem, entre outros e só vai terminar no dia 6 de Setembro.

 

Erva Daninha (Portugal)

A Companhia Erva Daninha, sediada na cidade do Porto, tem como missão a criação de circo contemporâneo explorando o diálogo entre diferentes expressões das artes performativas.
Os seus espectáculos abordam temáticas actuais e têm como ponto de partida materiais biográficos, literários, cinematográficos, sociais e políticos. Resultam de uma vontade de reflectir o presente, as questões de nos afectam e das quais fazemos parte. A Erva Daninha habita o espaço da Fábrica da Rua da Alegria, um espaço cedido pela Escola Superior de Música das Artes e do Espectáculo (ESMAE/IPP-Porto).
Stefano 3Nino (Itália)

Stefano começou a praticar arte de rua em 1997. Também vendia artigos de malabarismo e organizava espectáculos e cursos de manipulação para crianças, juntamente com a associação Agile, de Veneza. Depois de Itália, passou pela Eslovénia e Espanha, antes de se fixar em Lisboa e envolver-se num projecto de carácter social, no bairro de São José, participando ao longo dos anos em cursos de malabarismo e disciplina aéreas no Chapitó.
Em 2006, criou a sua própria companhia de circo ambulante, Circo Piccione, que viajou por todo o sul de Espanha com espectáculos de circo integral, em que faz de tudo: Malabarista, Acrobata, Mago, Trapezista, Faquir e Palhaço.

 

Juanillo Payaso (Argentina)

Depois de ter passado por países como a Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Uruguai, Chile, entre outros, Juanillo aterra finalmente em Portugal. O palhaço Juanillo apresentará em Ovar “La Maquina de los Deseos”, espectáculo familiar com música ao vivo e magia. Esta criação estreou no verão de 2013, na costa do Pacifico, no Chile.

 

 

 

 

Manolo Cayetano (Venezuela)

Manolo é um ilusionista nascido na Venezuela mas há muitos anos em Portugal. Tem um grande humor que se transmite para todos os seus espectáculos, sejam para crianças, sejam para adultos. Vive em Avanca, próximo de Espinho onde desde há 14 anos leva todas as semanas o seu espectáculo ao Casino, sendo um dos elementos mais marcantes em todos os jantares de fim-de-semana e épocas especiais.

 

 

 

 

Cici (Portugal)

Cecília Dias tem com 33 anos e o sonho de trabalhar com os “Palhaços Sem Fronteiras”. Para ela, o ‘clown’ é uma experiência que tem crescido ao longo da vida e que culminou na Dinamarca, onde realizou trabalho de ‘clown’ num hospital. O trabalho com crianças é uma “experiência humana muito profunda”, na medida em consegue “fazer brotar sorrisos em crianças que estão em condições físicas muito complicadas”, o que revela nesta arte circense “um lado social muito importante”.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta