Opinião

As lições que a epidemia e a história nos transmitem – Por Carla Madureira

Portugal está a passar um dos períodos mais críticos da sua História. Que impõe união. Que impõe solidariedade. Que impõe firmeza na ação. Que, afinal, impõe que todos façamos caminho no sentido de atingirmos o objetivo consensualmente dado como comum.

O PSD disse “presente” para esta batalha desde o primeiro dia. De forma clara, inequívoca. O seu líder dispensou, até, o discurso dado como politicamente correto e disse ao principal adversário que ali estaria para o que desse e viesse. E esteve, naquele que foi um contributo decisivo. E foi assim no País como em Ovar. Nunca será demais lembrar o que o povo vareiro sofreu no início da pandemia, ao partilhar o sofrimento dos concidadãos portugueses, mas também ao ser vítima da única cerca sanitária imposta em território continental ao longo da pandemia.

Uma situação que deixou um rasto de destruição a diversos níveis, desde a economia ao setor social, passando pela educação e pela saúde. Mas o povo vareiro não se lamuriou. Pelo contrário, fez das fraquezas forças para contornar a situação, sempre com um apoio inestimável do Município de Ovar, que não regateou um esforço que fosse para dar satisfação às necessidades que se iam colocando.

Em Ovar, como no País, o PSD esteve sempre na linha da frente do apoio àqueles que dele necessitavam. E o PS de Ovar? Onde andou o PS de Ovar ao longo deste ano? Que iniciativas se lhe conhecem no sentido de minorar as consequências da fatídica pandemia? O que mais se conhece ao PS de Ovar são as críticas mais ou menos tímidas ao executivo municipal. Com que desplante…

Pois o partido – que, por acaso, é o mesmo que está no poder a nível nacional – não foi, sequer, capaz de interceder junto de quem de direito para que o governo desse cumprimento a projeto de resolução amplamente votado pelo Parlamento, que recomendava ao governo a adoção de medidas excecionais urgentes para a população ovarense.

Nem isso… O cumprimento do projeto de resolução aprovado em julho passado, recomendando ao governo a adoção de medidas excecionais e urgentes de apoio social e recuperação económica para o concelho de Ovar que esteve sujeito a condições que nenhum outro território continental experimentou, é, afinal, apenas um passo com vista à compensação que os ovarenses merecem. O PS local não foi capaz de mostrar capacidade de diálogo e de resolução dos problemas que afetam o concelho, mesmo com um governo socialista.

Num momento como o que atravessamos, não basta ter a iniciativa de propor uma moção na Assembleia Municipal e, depois, aguardar sentado que as coisas aconteçam. Onde tem estado o PS de Ovar na reivindicação junto do poder que é suportado pela mesma família política? O PSD disse “presente”, a nível nacional como a nível local. Ou propondo e colaborando a cem por cento quando isso se impunha, ou executando, como no caso local, onde tem poder executivo. Lições que a História nos transmite…

Carla Madureira
Deputada do PSD na Assembleia da República
Eleita pelo Círculo Eleitoral de Aveiro

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta